terça-feira, 21 de junho de 2011

Santa Aliança


 No ano de 1815, após uma desgastante série de batalhas, as monarquias européias conseguiram finalmente conter as ações militares de Napoleão Bonaparte. Contudo, o lendário chefe de Estado e militar da França revolucionária havia remexido todo o mapa que antes definia os limites e domínios dos estados absolutistas europeus. Por isso, os representantes das principais monarquias tiveram o interesse de se reunir para reorganizar as fronteiras alvejadas por Bonaparte.

Durante o chamado Congresso de Viena, em 1815, o mapa da Europa monárquica foi restabelecido. Contudo, as idéias difundidas pela Revolução Francesa ainda preocupavam muitos daqueles que temiam a difusão daquelas liberdades transformadoras que iam diretamente contra os privilégios e normas do Antigo Regime. Por isso, os reinos da Rússia, Prússia e Áustria assinaram um pacto de cooperação política e militar que deu origem à Santa Aliança.

Segundo conta o próprio documento que regia essa união, os países envolvidos faziam o compromisso de se ajudarem “em todas as ocasiões e em qualquer lugar” em que as medidas do Congresso de Viena fossem ameaçadas. Em outros termos, o acordo tinha a preocupação de combater qualquer situação que pudesse colocar em risco a hegemonia das monarquias do Velho Mundo. Além disso, se colocava em favor do restabelecimento da dominação dos reinos ibéricos sob as colônias americanas.

Nesse último ponto, a defesa da ação colonialista na América motivou os britânicos a não fazerem parte da Santa Aliança. O afastamento inglês se justificava pelo interesse da Coroa Britânica em ampliar os seus negócios com as recém-independentes nações, agora livres, das amarras impostas pelo pacto colonial. Em contrapartida, o governo francês, visando recuperar seu prestígio diplomático, decidiu se juntar às demais monarquias em sinal de fidelidade.

Em sua primeira reunião, ocorrida em 1818, os membros da Santa Aliança decidiram retirar as tropas que dominavam os territórios franceses. Logo em seguida, as forças de seus membros foram utilizadas para conter uma manifestação de estudantes germânicos que comemoravam os trezentos anos da reforma protestante. Com isso, os centros universitários passaram a sofrer vigilância, os partidos políticos foram perseguidos e os meios de comunicação censurados.

Pouco tempo depois, militares de orientação liberal da Espanha e do Reino das Duas Sicílias promoveram uma revolta que impôs a criação de uma constituição para as autoridades de ambos os países. Entretanto, não se submetendo a essa situação, os reis Fernando VII, da Espanha e Fernando I ,das Duas Sicílias acionaram a intervenção dos exércitos da Santa Aliança. No ano de 1823, as tropas conservadoras conseguiram derrubar as reformas liberais nessas regiões.

Apesar do sucesso, esse seria o último evento bem sucedido da aliança feita entre os monarcas da Europa. O primeiro sinal de enfraquecimento aconteceu entre 1821 e 1827, quando suas frentes não conseguiram abafar as agitações que levaram os gregos a lutarem contra a dominação turca. Além disso, o fracasso no restabelecimento dos domínios coloniais na América faria com que a Santa Aliança acabasse perdendo seu poderio já na década de 1830.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Copyright © 2012 Aprendendo a Estudar História|Template Para Blogspot.