terça-feira, 3 de setembro de 2013

O MURO DE BERLIM


Berlim, antiga capital do terceiro Reich, esteve dividida por quase três décadas, entre 1961 e 1989, por uma muralha que se tornou o grande símbolo da guerra fria.  Essa abominável construção erguida com base no antagonismo entre Soviéticos e americanos foi durante aqueles anos o símbolo da rivalidade entre Leste e Oeste. Contudo, ela também refletiu a incapacidade do socialismo em manter-se como um sistema atraente para a população alemã.

Na madrugada de 13 de agosto de 1961, a população de Berlim, nas proximidades com a linha que separava a cidade em duas partes, acordou com estranhos barulhos. O inusitado movimento nas ruas era provocado pela construção de uma interminável cerca de arame farpado que provisoriamente dividiu a faixa de 37 quilômetros da cidade. Posteriormente, trabalhadores passaram a descarregar tijolos, blocos de concreto e sacos de cimento para erguer uma construção definitiva, uma muralha. O duro solo foi quebrado com britadeiras e picaretas e o muro, o pavoroso Mauer, como o chamavam os alemães começou a surgir.

A história do muro de Berlim, na verdade, se inicia bem antes de sua construção quando a ofensiva do Exército Vermelho conquistou a capital alemã em maio de 1945. Este episódio provocou o suicídio de Hitler e pôs fim a segunda guerra mundial no cenário europeu. Contudo, o destino da Alemanha já havia sido traçado pelo tratado de Yalta e fora confirmado pelo de Potsdam. Tais tratados delimitavam que independente de quem chegasse primeiro na capital do III Reich, essa seria dividida entre os aliados. Desta forma, apesar dos soviéticos terem primeiro tomado a cidade e um expressivo território ao seu redor, foram obrigados a ceder o lado ocidental dela para os três outros membros dos aliados. Portanto, Berlim foi dividida e administrada, a partir de 8 de maio de 1945, em quatro setores distintos: soviético, americano, inglês e francês.



Com o início das hostilidades entre os vencedores, as quatro zonas transformaram-se em duas: oriental e ocidental.

Em represália ao Plano Marshall, que visava a reconstrução dos países capitalistas da Europa destroçada pela guerra, os soviéticos decretaram o bloqueio econômico com o lado ocidental. Todas as vias que ligavam Berlim ocidental com a Alemanha Ocidental foram então fechadas pelos soviéticos, objetivando com isso, forçar os ocidentais a desistirem da zona de ocupação na cidade. Este bloqueio, no entanto, foi quebrado pela via aérea (Berlin Airlift) que manteve o abastecimento na área de Berlim ocupada pelos ocidentais. O bloqueio soviético mostrou-se inoperante e Stalin pôs fim a este plano em 12 de maio de 1949.

O sucesso do plano Marshal e o isolamento da população oriental provocou uma onda migratória em direção a parte ocidental de Berlim. Diversos mecanismos foram utilizados para cercear o livre acesso da população entre as zonas dominadas por ambos os lados:

Em retrospecto, o muro, além de ser um desastre ideológico, a encarnação do fracasso do socialismo real, resultou de um previsível processo de isolamento, seguido de enclausuramento dos alemães orientais, que já se arrastava desde 1952: ano em que a Zonengrenze, a fronteira entre as duas Alemanhas (a Federal, pró-ocidental, com sede em Bonn, e a comunista, pró-soviética, com sede em Berlim), foi definitivamente fechada. Dali em diante, os soviéticos só permitiram o trânsito de um lado para o outro por alguns locais selecionados da cidade de Berlim. Em seguida ao esmagamento do levante dos trabalhadores de Berlim oriental contra a ocupação russa, ocorrida em 17 de junho de 1953, foi exigida dos ocidentais um passe especial para poderem circular do lado oriental. Em 1957, o cerceamento dos westi, dos alemães orientais, ampliou-se com a adoção de severas punições, que chegavam a condenações de até três anos de cadeia para quem tentasse deixar a lado comunista sem permissão.


Mesmo com tantas restrições a população migrava insistentemente para a porção ocidental de Berlim e, objetivando eliminar definitivamente tais migrações, o muro foi erguido.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Copyright © 2012 Aprendendo a Estudar História|Template Para Blogspot.