sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A noite das garrafadas

Com a proclamação da nossa Independência, D. Pedro, antigo príncipe regente, foi coroado e passou a ser Dom Pedro I, o primeiro rei do Brasil. Este evento marcou o início do primeiro reinado que na verdade, durou muito menos que o esperado.

Dom Pedro I passou a governar o país de forma centralizadora e, ao mesmo tempo, negligente com as necessidades do povo.

Outro aspecto que ajudou a diminuir a popularidade do imperador foi a influencia dos lusitanos na nossa política. A marcante presença de portugueses nos ministérios e Assembleia dava a entender que D. Pedro I queria dar continuidade aos privilégios da coroa e dos portugueses. Além disso, os políticos locais desejavam uma maior autonomia das províncias.

A liderança do imperador passou a ser questionada, ainda mais, com a notícia da morte do rei de Portugal D. João VI, em 1826. D. Pedro I demonstrou grande preocupação com o episódio e acabou se envolvendo inclusive, em reuniões para discutir a sucessão do trono português. Esse fato causou uma maior instabilidade já que os brasileiros não viam com bons olhos o fato de o seu líder interessar-se por ocupar um alto cargo em outra nação. Assim, as acusações de descaso aumentaram.

O jornalista italiano, radicado no Brasil, João Batista Líbero Badaró, passou a criticar com veemência as posturas de Dom Pedro I no seu jornal “O Observador Constitucional”. Badaró argumentava que o governo imperial era autoritário e negligente com os interesses do povo. Seus artigos ainda defendiam o rompimento das ligações políticas com os portugueses. Tais críticas transformaram o jornalista num incomodo para Dom Pedro e por isso, o governo passou a ser responsabilizado pelo atentado que matou o jornalista em 20 de novembro de 1830.

O assassinato de Líbero Badaró causou grande revolta principalmente nos liberais brasileiros e para tentar contornar a situação, D. Pedro I realizou algumas excursões pelo país buscando a melhoria de sua popularidade. A primeira cidade a ser visitada foi Ouro Preto, em Minas Gerais, mas a população local o recebeu desprezo. As janelas das casas ficaram todas cobertas de tecido preto, num claro sinal de repúdio a presença imperial.

Enquanto isso, cresciam os protestos no Rio de Janeiro em razão da morte de Líbero Badaró. O imperador retornou para a capital com a intenção de controlar a rebeldia dos manifestantes que ganhava as ruas.

No dia 13 de março de 1831, os brasileiros entraram em conflito com os portugueses no Rio de Janeiro, em um episódio que ficou marcado como Noite das Garrafadas, devido aos inúmeros objetos lançados pelos revoltosos.


Esse episódio acabou antecipando os fatos e Dom Pedro I abdicou do trono retornando para Portugal. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

Copyright © 2012 Aprendendo a Estudar História|Template Para Blogspot.